Viajar a 2..mais o papá!

As férias representam sempre momentos fantásticos com experiências que ficam para a vida. É comum, quando se fica grávida começa a pensar-se que estas poderão ser as últimas férias do casal sem filhos; no fundo as últimas férias antes da grande responsabilidade de ser pais. A melhor ocasião para viajar deverá ser entre o terceiro e o sétimo mês de gravidez (preferencialmente até à 32ª semana). Antes disso o feto ainda está em formação e podem existir os malditos enjoos. Após esse período há risco de parto prematuro. No entanto deve sempre consultar o seu médico para que ele a elucide sobre os riscos e precauções que deve tomar quando viajar.

A recomendação é que, desde que não tenha nenhuma complicação médica – como hemorragias, diabetes, pressão alta, não esteja grávida de mais do que um bebé e não tenha histórico de partos prematuros anteriores – não há problema em viajar durante a gravidez.

Em viagem deve também levar todos os registos da saúde pré-natal do seu bebé, o grupo sanguíneo a que pertence e o contato do seu médico obstetra.

Por sorte, o meu segundo trimestre correspondeu às férias de Verão e como viajar é algo que simplesmente adoramos, começámos a pensar em destinos. Antes de saber que estava grávida, planeámos um roteiro por alguns países da Ásia (tenho imensa pena de não termos realizado esta viagem mas foi por um bom motivo). Tinha que ser um destino calmo, que desse para relaxar, com boas praias e que desse para passear/conhecer o local. A nossa escolha recaiu sobre a ilha de Tenerife. E que boa escolha foi.

Sugiro alguns conselhos que tive em conta para esta viagem.

Antes de viajar:

– Avise o médico que a acompanha com antecedência sobre a viagem para que ele a possa alertar sobre os cuidados básicos a ter em conta;

– Confira se o país que pretende visitar requer alguma vacina em especial;

– Leve sempre os medicamentos que toma ou pode vir a precisar nomeadamente o ácido fólico e o Ben-u-ron;

– Se pretende viajar para países dentro da Europa deve levar consigo um cartão de saúde europeu que pode ser requerido na segurança social. Se pretende viajar para um outro país, deve fazer um seguro de viagem que inclua cuidados médicos.

Durante a viagem:

– Beba muita água e líquidos (procurando saber sempre a sua procedência);

– Coma uns snacks como barras de cereais, frutas secas ou bolachas salgadas;

– Use o cinto de segurança sempre abaixo do ventre;

– Faça pausas em que se possa movimentar e alongar para evitar inchaço nas pernas e nos pés;

– Se viajar de avião peça um lugar no corredor e perto de uma casa-de-banho;

– Opte por roupas de algodão com strech e calçado confortável.

pregnant-woman-baggage-636

Durante a minha viagem e estadia em Tenerife fui sempre uma privilegiada. No aeroporto fomos direcionados para uma fila especial no detetor de metais e pude escolher um assento na parte da frente do avião, junto a uma casa-de-banho. No hotel e restaurantes que frequentámos foram todos muito simpáticos e atenciosos.  Para além do descanso da praia (sempre com muito protetor!!), alugámos um carro e corremos toda a ilha. Claro que eu adorava exibir a minha barriguinha sempre que podia por todo o lado.

Foram, sem dúvida, umas férias diferentes porque sabíamos que a família iria aumentar em breve mas que aproveitámos ao máximo e namorámos muito. Umas férias que ainda não eramos efetivamente três, mas já o eramos.

IMG_3968

By: Super Mãe D.O.

Super Sexo na Gravidez

Sobre o tema sexo na gravidez há muitas dúvidas ou por vezes é o mais constrangedor falar. O sexo durante toda a gravidez é seguro e saudável, o bebé não será magoado (mexe-se um pouco mais após a relação, devido ao batimento cardíaco e de tão feliz que está por sentir amor entre os papás).

É saudável desde que não existam contra-indicações médicas, por exemplo se a gravidez for de risco, se os partos anteriores foram prematuros, se a cervix estiver dilatada, se já tiveste abortos espontâneos, se tiveste sangramento vaginal, se tens uma gravidez múltipla, se sofres de placenta prévia, se existe fuga de líquido amniótico e se tu ou o teu parceiro sofreram de alguma doença sexualmente transmissível. 

Não é aconselhado sexo violento e penetrações demasiado profundas, pois poderão ser dolorosas. O sexo deverá ser algo suave durante o tempo da gravidez. Evita sexo em banheiras e em ambientes aquáticos, ou em locais que possam provocar quedas ou riscos. Também evita o uso de lubrificantes ou cremes que possam provocar reações alérgicas. O sémen também contém prostaglandina que pode causar contracções, por isso, se estiveres perto da altura do parto, a probabilidade do orgasmo induzir o parto é alta. 

No entanto fala abertamente (sim porque é o teu corpo, a tua saúde e a do bebé) sempre com o teu médico e com o parceiro, pois cada caso é um caso.

Desejo: muito, igual ou nenhum?

A fase inicial da gravidez coloca o corpo em alvoroço hormonal com sentimentos de cansaço e náuseas que podem diminuir o desejo sexual. O aumento de peso, as dores nas costas ou outro tipo de condições resultar na falta de desejo sexual. Durante o 2º trimestre quando existe um aumento do fluxo sanguíneo, inclusivé nos órgãos sexuais e mamas, o desejo sexual muitas vezes aumenta. Varia de mulher para mulher e a cada altura da gravidez. Todavia, é muito importante manter as linhas de comunicação abertas com o teu parceiro, pois ele poderá não compreender os teus motivos e se não lhe explicares ele não os adivinhará.

Que posições são aconselhadas durante a gravidez?

A gravidez é uma boa oportunidade de colocares a criatividade ao serviço da vida sexual, há posições mais adequadas para não haver pressão no teu abdómen. 

O sexo oral também é seguro. Contudo é muito importante que o teu parceiro não sopre ar para a tua vagina, pois pode causar uma bolha de ar que poderá bloquear um vaso sanguíneo e causar uma situação de vida ou morte não só para ti como para o vosso bebé.

O sexo anal não é recomendado durante a gravidez. O sexo anal facilita infeções relacionadas com bactérias que passam do reto para a vagina (inclusive E.Coli). Se estás proibida de fazer sexo durante a gravidez, o sexo anal também está incluído. E se realmente pretendes fazê-lo, deve ser muito suavemente e pede 1º ao teu parceiro para brincar com um dedo e até estares bem relaxada. 

As 10 melhores posições, na gravidez:

De pé – Homem segura a mulher pelo rabo, encosta o corpo dela a uma parede. A sustentação do peso da mulher é toda feita pelo homem.– ideal para os primeiros meses de gestação, quando a barriga crescer poderá causar desconforto e dor na lombar.  sexo-gravidez-01
 De joelhos – O homem fica de joelhos e a mulher posiciona-se à sua frente, também ajoelhada. A mulher então passa uma das suas pernas na cintura do homem.– ideal para os 3 primeiros meses de gestação.  sexo-gravidez-02
 Cão – O homem fica de joelhos e a mulher põe-se à frente com os joelhos e mãos apoiadas. Nesta posição quem controla a penetração (intensidade e ritmo) é o homem.– ideal para os 6 primeiros meses de gestação. No terceiro trimestre a barriga poderá ficar muito pesada e exigir muito da coluna, causa dor e desconforto.  sexo-gravidez-03
 Pélvis levantada – A mulher deita-se e coloca almofadas apoiando as costas, deixando a pélvis mais alta. O homem põe-se de joelhos. É ele quem controla a intensidade e ritmo. É uma posição que facilita o orgasmo da mulher.– ideal para os 7 primeiros meses de gestação. Com a barriga muito grande pode haver desconforto, especialmente nas costas.  sexo-gravidez-04
 Colher (de ladinho) – É a posição preferida das barrigudinhas. Homem e mulher deitam-se de lado. Para maior conforto, a barriga pode ficar apoiada numa almofada, desta forma o conforto da mulher é ainda maior.– ideal para todos meses de gestação.  sexo-gravidez-05
 Sentada – O homem fica deitado e a mulher fica sobre ele com os joelhos apoiados, deixando a barriga sem pressão. Quem controla o ritmo e intensidade é a mulher. Quando a barriga estiver maior o homem poderá flexionar os joelhos para fornecer apoio para a mulher.– ideal para todos meses de gestação.  sexo-gravidez-06
 Pai e mãe – O homem não se deita sobre o corpo da mulher, e apoia-se com as mãos. Assim não há pressão sobre a barriga da mulher. Quem controla o ritmo e intensidade é o casal.– ideal para todos meses de gestação, especialmente após o 2º mês em que a expansão do útero pode deixar a barriga mais sensível.  sexo-gravidez-07
 Cruz – A mulher fica com as costas apoiadas completamente e a barriga livre. O homem deita-se de lado e posiciona as pernas da mulher por cima do seu quadril. Posição extremamente confortável para a mulher durante toda a gestação.– ideal para todos meses de gestação.  sexo-gravidez-08
 Sentada de costas – O homem fica sentado de joelhos e a mulher senta-se sobre ele, podendo apoiar as mãos se sentir confortável. É a mulher quem controla intensidade e ritmo da penetração.– ideal para todos meses de gestação.  sexo-gravidez-09
 Armadilha da serpente – A mulher senta-se sobre o homem e de frente para ele. Ambos apoiam-se nos pés um do outro, resultando em um balanço “vai e vem” confortável para a barriga da mulher. Como o diafragma também fica livre a mulher pode respirar com mais facilidade dando ainda mais fôlego para a relação.– ideal para todos meses de gestação.  sexo-gravidez-10

By: Super Mãe S.F.

À Espera: Os Super 9 Meses

Os 9 meses da gravidez são recheados de surpresas, emoções fortes e exploração de um novo mundo. Cada fase da gravidez é extremamente especial e deve ser vivida intensamente.

O período de gestação das mamãs começará a ser contado em semanas sendo que a sua conversão em meses nem sempre é fácil (a meio do tempo de gravidez já exige algumas continhas).

Assim que soube que estava grávida inscrevi-me na newsletter do site Mamãs e Bebés (http://www.mamasebebes.pt/) e todas as semanas recebia a informação do desenvolvimento da nossa baby. Vale a pena!

_gravidaG

Aqui está um pequeno resumo do mês a mês da gravidez:

1º Mês

Se a menstruação atrasa e os exames de urina e de sangue dão positivo não há dúvidas: está grávida. A gravidez começa a contar-se a partir do primeiro dia da última menstruação. Às 4 semanas da gravidez, o embrião é um pequeno disco achatado com aproximadamente 1 mm. Os órgãos aparecem em forma de esboço e estão em plena formação. O embrião já desenvolveu o seu próprio sistema de circulação sanguíneo primitivo, completamente autónomo do sistema da mãe. As células cardíacas já batem.

Deverá ser marcada uma consulta com o médico ginecologista logo que possível.

2º Mês

Os órgãos começam a ganhar forma, posicionando-se no seu lugar e começam a funcionar: o estômago produz sucos gástricos, o fígado produz células sanguíneas, nas gengivas formam-se os dentes e o cordão umbilical funciona agora como principal suporte de vida do bebé, permitindo a passagem de nutrientes e de oxigénio. Por esta altura já é um ser humano em miniatura.

Nesta fase os enjoos e os vómitos, especialmente durante a manhã, poderão ser habituais, juntamente com a sensibilidade aos cheiros, pelo que é comum algumas mulheres emagrecerem (aconteceu comigo).

3º Mês

Com 12 semanas, a etapa mais crítica do desenvolvimento do embrião está ultrapassada. O embrião passa a designar-se “feto”. Os músculos do intestino praticam movimentos e contrações de digestão, exercita os músculos faciais abrindo e fechando a boca engolindo líquido amniótico, faz movimentos com os braços e com as pernas.

Será altura de realizar a primeira ecografia da gravidez (confirmar as semanas de gravidez, estimar a data provável para o parto, confirmar o número de fetos e estudar a anatomia de forma básica). É a primeira vez que vai ver o bebé por isso prepare o lenço que é capaz de cair uma(s) lágrima(s). Quando ouvirem o pequeno coração a bater não irão resistir com certeza.

4º Mês

Ao longo do 4º mês de gestação o bebé adquire o aspeto de um bebé recém-nascido.

O corpo está coberto por uma fina lanugem que protege a pele do ambiente líquido uterino, a cabeça ainda é proporcionalmente maior relativamente ao corpo e a medula do bebé já produz células sanguíneas. O bebé começa a levar os dedos à boca e a chuchar no dedo.

O seu bebé está cada vez mais ativo: até pode começar a senti-lo a mexer! Estas sensações, vão ser, ao princípio, muito leves, como borboletas ou bolhas no estômago (é normal pensar ‘Será que isto era o meu bebé’?). Os enjoos matinais e os incómodos típicos do primeiro trimestre começam a suavizar-se e poderá aproveitar para viver a gravidez em pleno agora que a barriga vai começar a aparecer. Capriche nos cremes hidratantes para prevenir as estrias como o da Uriage e o da Mustela (usei os dois e recomendo).

5º Mês

Os sentidos apuram-se, os órgãos sexuais amadurecem, dorme e acorda em intervalos regulares. O bebé ouve e distingue sons. Falar e massajar a barriga são excelentes para ambos. Quando virem um altinho na barriga também é sinal que há um pé ou uma mão por ali.

Entre a 20ª e a 22ª semana deverá realizar a segunda ecografia ou ecografia morfológica. Conseguirá agora ver uma versão muito próxima das feições reais do seu filho(a) e descobrir se está grávida de um rapaz ou de uma menina (ou de ambos!). Este é um momento verdadeiramente emocionante e inesquecível.

Por opção realizámos esta ecografia em duas clínicas diferentes porque queríamos ter a certeza que estava tudo bem com a nossa princesa. Ainda tentámos realizar a ecografia 3D mas a malandra não queria ser vista.

6º Mês

O bebé já abre os olhos. As pálpebras, até agora fechadas, começam a abrir. Passa grande parte do dia a dormir (cerca de 18-20 horas). Também começa a responder aos diversos estímulos que o rodeiam especialmente os provenientes do exterior: a música, a sua voz e também a do pai. Sempre falámos imenso com a nossa pequenina e aos fins de semana costumava colocar os headphones na barriga, com música clássica, e ela ficava quase 1 hora a ouvir.

Entre a 24ª e a 28ª semanas o seu médico obstetra vai pedir um teste de tolerância à glicose. Estas análises irão verificar se é portadora de diabetes gestacionais (durante a gravidez). Confesso que não custou tanto quanto eu imaginara mas senti-me enjoada uma vez que o líquido, com sabor a limão, era super doce (e olhem que eu adoro doces!!).

No final do mês, poderá sentir que o útero se contrai e relaxa rapidamente. Calma!! São as contrações de Braxton Hicks. É normal, não causa dor e acontecem em intervalos irregulares. É um tipo de preparação do corpo para o parto, que ainda está longe de acontecer.

 7º Mês

O bebé ganha peso e o corpo adquire formas mais redondinhas, o cabelo e as unhas crescem e os olhos já conseguem produzir lágrimas. Poderá “dar a volta” (apresentação cefálica), posicionando-se de cabeça para baixo nesta fase. A nossa L. queria estar na vanguarda e desde o 5º mês até ao final da gravidez esteve sempre nesta posição.

É altura de começar a frequentar um curso de preparação para o parto no hospital/maternidade ou numa clínica de confiança. Na minha opinião é uma ajuda extra para o momento que se avizinha e se poder levar o papá melhor ainda. Nós frequentámos o curso no Centro Pré-Pós Parto (http://www.preeposparto.com/).

Por volta das 2832 semanas deverá realizar a terceira ecografia da gravidez para observação do crescimento do bebé, da quantidade de líquido amniótico e posição/alterações da placenta.

 8º Mês

Com o rápido crescimento do bebé, o espaço no útero começa a escassear. O bebé consegue mexer-se cada vez menos e os movimentos tornam-se mais visíveis do exterior. O estômago, rins e intestino já se encontram em perfeito funcionamento.

Agora começa a ser realmente complicado dormir, por não haver sono (o nosso pensamento anda a divagar sobre o nosso bebé) e/ou pela dificuldade em arranjar uma posição confortável para dormir. A melhor posição para dormir com o barrigão será deitada de lado sobre o lado esquerdo, pois melhora a circulação. Eu colocava uma almofada entre as pernas como suporte à barriga. Nesta altura, a casa-de-banho também vai ser passar a ser a vossa melhor amiga, uma vez que vão passar lá a vida.

O médico obstetra vai exigir visitas mais frequentes, a cada uma ou duas semanas, para avaliar os sinais de dilatação do colo uterino. A escolha da maternidade e do pediatra também já deverá estar decidida por esta altura.

9º Mês

O bebé está pronto para nascer (a partir das 38 semanas)!

A data provável do nascimento do bebé é na realidade um intervalo de tempo. O nascimento do bebé pode ocorrer nas 2 semanas antes ou até 2 semanas após a data provável.

Enquanto ele permanecer no conforto do útero, vai aproveitar para engordar, para se preparar para o nascimento e amadurecer os pulmões.

Muitas mães perguntam o que fazer para acelerar o trabalho de parto. Bem, pode dar longos passeios, fazer amor ou tomar banhos de água quente (eu fiz tudo e nada resultou!). Mas o mais importante é descansar. Aproveite bem os últimos dias antes da “aventura” começar.

À medida que a data se aproxima, poderá sentir alguns sinais de que o nascimento está para breve. As contrações são um dos primeiros sinais do início do trabalho de parto. Quando sentir contrações ritmadas de 5 em 5 minutos e com a duração de 1 minuto, está na hora de se deslocar para o hospital/maternidade. Se a bolsa de águas rebentar entretanto, não deve esperar mais do que 12 horas para se dirigir ao hospital.

Importante:

– Ter a mala da maternidade pronta e à porta de casa

– Ter sempre à mão o telefone do hospital e de quem vai levá-la, preparando antecipadamente diversas opções de roteiro com atalhos para lá chegar rápido

A melhor parte começa agora! Aproveite muitooooo 🙂

Como escolher o Super Obstetra?

Uma das principais preocupações das mamãs é o acompanhamento médico da gravidez: “Estou grávida… e agora onde e com quem vou ser seguida?” É muito importante o médico que irá acompanhar-te a gravidez toda, pois para além das consultas pré-natal há o parto e a hospitalização. Qualquer mamã quer ser acompanhada o melhor possível.

Nem todos os ginecologistas têm a especialidade de obstetrícia, é melhor confirmar se ele se dedica à obstetrícia, antes de marcar a primeira consulta da gestação.

Antes de escolher um obstetra, pode começar por consultar as amigas e a família, de forma a saber se alguém recomenda um bom médico obstetra. A não esquecer que o Google e as Redes Sociais acabam por ser também uma excelente fonte de recolha de informações.

Logo na primeira consulta percebes se houve empatia e confiança com o médico e se o modo de tratamento foi agradável e adequado, não escolhas um médico só porque foi bom para uma amiga, sendo que, às vezes, o que é bom para uma super mamã, pode não ser o ideal para ti.

Verifica se o obstetra pode atender 24 horas por dia, porque durante a gravidez é normal que surjam dúvidas fora das consultas e que, em caso de urgência, o médico se encontre permanentemente disponível para dar o devido acompanhamento por telefone ou ir ter ao hospital, é sempre um descanso para qualquer super mamã. Eu no meu caso, sempre que precisei de ajuda, falsos alarmes de parto, gripe, etc… a minha obstetra respondeu-me sempre ou retomava chamada.

Conheceres a equipa médica ou o hospital onde farás o parto é fundamental para que tenhas tranquilidade e confiança na hora de ter o bebé. Se pedires ao teu obstetra ou ao hospital (bloco de partos) uma visita guiada não te dirão que não.

No meu caso, quando fiquei grávida da baby L. a minha irmã ajudou-me e recomendou-me a médica dela. É ginecologista-obstetra no Hospital da Luz, desde que a conheci senti empatia e confiança para falar abertamente de dúvidas que com certeza todas as super mamãs têm. Desta gravidez de 2ª viagem, da minha mini baby L. mantive-me com ela e até hoje não tive um único desagrado. Foi ela que me acompanhou sempre, quando tive problemas nas gravidezes solucionou logo e fez-me os dois partos com uma imagem de descontração boa (sim a mamã precisa de sentir tranquilidade no médico para conseguir relaxar e que as coisas tomem o rumo certo).

Ah e não fiques com um médico obstetra de quem não gostaste. Se houve algum motivo que te levou ao desagrado, troca de médico, pois a gravidez é tua, tal como o teu bebé que está por nascer.

By: Super Mãe S.F.

obstetra obstetra_1

Olá, o Meu Nome é…

Quando somos meninas escolhemos que nome dar nome às bonecas. Quando crescemos a responsabilidade torna-se maior: dar o nome a um bebé. A maioria dos casais começa por pensar no assunto quando a barriguinha começa a crescer, muitas vezes ainda sem saberem qual … Continue reading