Super Mala para a Maternidade!

Ao chegar à semana 30 da minha mini baby L. achei que estava na hora de fazer a mala para a maternidade, até porque tive mesmo que abrandar o meu ritmo e fiquei de baixa em casa. Da baby L. deixei tudo para a última e depois foi tudo à pressa porque a baby L. teve de sair mais cedo, às 36 semanas, foi de um dia para o outro. No 3º trimestre a barriga já começa a pesar, mas é na altura em que a mamã tem mais vontade de arrumar tudo, deixar tudo certinho para a chegada dos nossos filhos, ir às compras, mudar coisas de sítio… eheh isso aconteceu comigo 😉 Desta vez tive a ajuda da minha baby L. para escolher todos os kits para a mana mini baby L., foi fantástico e para ela ainda mais por se sentir útil, estava super entusiasmada e só me perguntava: “Mamã a mana vai já nascer amanhã? Eu quero! Eu quero!” Embora a estação fosse na Primavera e a baby L. tinha nascido no Outono, ainda deu para aproveitar muitas roupas da baby L. o que me facilitou muito as compras. Consoante o hospital, aconselho as mamãs a pedirem a lista deles da maternidade. Partilho aqui a minha lista, se me faltar alguma coisa, digam-me por favor. Espero que vos seja útil.

Para a super mamã:

  • Boletim da grávida, últimas ecografias/exames e últimas análises;
  • Cartão do Cidadão e Cartão do Seguro de Saúde;
  • Dinheiro para caso de ter que pagar extras ou parte das despesas consoante o seu seguro de saúde;
  • Necessaire com higiene pessoal (escova de cabelo, pasta de dentes, escova de dentes, desodorizante, perfume, champô, amaciador de cabelo caso necessário, hidratante para o corpo e cara, uma sombrinha de cor suave e um rímel para nos sentirmos melhores e dar um bom ar após o parto para as visitas e um elástico para o cabelo);
  • Bolachinhas e garrafa de água (eu pessoalmente levei o meu leite de soja de baunilha, e ainda bem que o levei porque durante a noite quando acordava para dar mama no hospital estava cheia de fome e comia umas 3 bolachinhas e bebia o leite de soja);
  • 3 camisas de dormir de algodão ou cetim, com abertura ou botões à frente para ser mais fácil de dar a mama e das enfermeiras te irem ver (atenção na compra das camisas de dormir, pois é com estas que irás receber as visitas família e amigos, convém serem bonitinhas e simples mas não muito sexy’s, acima de tudo confortáveis), podes ver várias opções e modelos na Prénatal ou a gama maternity da Woman Secret);
  • 1 par de chinelos de borracha para o banho e 1 par de chinelos ou sabrinas confortáveis para andar no quarto ou hospital;
  • 2 soutiens de amamentação (gama maternity da Woman Secret, a gama mamabel da Triumph ou ainda mais bonito e sexy http://www.damadecopas.pt/subbrafitting/bra-fitting-mama_4.html);
  • Discos de proteção dos mamilos (eu usei da marca medela e avent);
  • Pensos higiénicos com abas e super absorventes (o máximo absorção mesmo);
  • 1 roupão (quente ou fininho consoante a estação) é bom para quando saímos do quarto e vamos por exemplo dar banho aos nossos bebés;
  • 12 pares de cuecas descartáveis;
  • 1 muda de roupa para quando sairmos da maternidade (podes usar um vestido confortável ou o que eu usei umas leggings, uma túnica e umas sobrinhas);
  • Pomada para os mamilos (eu da baby L. usei o purelan mas era muito espesso e custava a sair da embalagem, desta vez para a mini baby L. uso e aconselho o bepanthene pomada com a linha rosa na embalagem, que tanto deu para os mamilos sem ter de ir lavar e sem prejudicar minimamente o bebé e ainda dá para o rabinho da bebé na muda da fralda);
  • Máquina fotográfica carregada e com cartão de memória;
  • Telemóvel e carregador;
  • 1 Livro, mp3, iPad ou revistas para te entreteres no trabalho de parto (é sempre uma maneira de abstrair… no meu caso da baby L. tive das 9h até à 1h para ter a bebé, da mini baby L. por acaso foi mais rápido das 8h30 às 15h30);
  • Baton do cieiro, spray de água termal para refrescar a cara e rebuçados de mentol (importante pois os lábios secam muito e quando estamos a soro eles evitam dar-nos água);

Para o super bebé:

  • Isofix para o automóvel (para fixar melhor o ovo no carro, eu pessoalmente nunca usei até porque o ovo com o cinto preso nem se mexe, fica muito bem preso);
  • Carrinho de bebé com ovo incluído (o meu já era da baby L. é da bebe confort Loola, e continuo a adorar… é rápido de fechar e compacto e tem uma excelente manobralidade);
  • Para o bloco de partos tens de levar um saquinho com a 1ª roupinha do bebé (1 body manguinha comprida, 1 babygrow quentinho, 1 gorro de algodão e 1 par de meias)
  • Para cada kit (para os dias a seguir) colocar em saquinhos dividido pelos dias, eu pessoalmente coloquei 2 mudas por dia (6 a 8 bodies, 6 a 8 babygrows, 6 a 8 pares meias, 4 gorros de algodão), verificar a temperatura da maternidade (no meu caso a temperatura da maternidade do Hospital da Luz estava a 25º e sentia-se muito calor. Só usei no 1º dia 1 gorro, e as tantas aconselharam-me a deixa-la só de body, pois ela estava tão confortável a dormir que nem acordava para mamar de 3 em 3h.);
  • Fraldas para recém-nascido (eu usei as dodot sensitive recém-nascido fiquei fã, que continuo a usar dotot sensitive pois tem uma rede que faz com que os cocós e xixi vão para baixo e não deixa estar muito em contacto com a pele, o que previne mais as assaduras);
  • Creme para a muda da fralda (usei o mesmo dos mamilos, o fantástico bepanthene pomada eritema da fralda com a linha rosa na embalagem);
  • 2 Chuchas (eu da baby L. usei tudo nuk látex, mas desta vez decidi usar tudo avent silicone, estou a gostar muito e principalmente vejo a minha mini baby L. muito contente e até porque até agora 0 de cólicas);
  • 6 fraldas de pano (para possíveis regurgitações);
  • Para o banho no hospital levar 6 tubos de soro, 1 pacote de compressas tecido-não-tecido 10x10cm não esterilizadas, 1ª água para limpeza nas mudas de fralda e gel para o banho (uso mustela com cheirinho inconfundível);
  • 1 muda de roupa bonita para quando sair da maternidade;
  • 1 manta de algodão para tapar o bebé no ovo quando sair da maternidade;

Se tiveres gémeos é tudo a dobrar a nível de roupas… No caso de esquecimento de algo, não se preocupem, alguém há-de ir buscar 😉

By: Super Mãe S.F.

mala-de-maternidade-1

Advertisements

Sexy Mama’s

Quem disse que as grávidas não podem andar lindas e maravilhosas?

É verdade que com a gravidez o corpo da mulher passa por algumas transformações. Uma verdadeira volta de 180 graus (eu tinha 49kg quando engravidei e engordei bastante!!!)

Atualmente já existem muitas opções de guarda-roupa disponíveis que aliam conforto, elegância e bom gosto.

A gravidez é um momento especial e em que acima de tudo, nos devemos sentir bem connosco próprias. Quando tive que colocar de lado algumas das peças de roupa a que estava habituada não foi fácil inicialmente mas as lojas têm sempre peças mais largas ou que mesmo com um número acima nos fazem ficar giríssimas. E não, não é preciso sequer andar pela seção tradicional das grávidas.

Algumas peças de roupa must-have:

Jeans para grávida

Sim, vale a pena investir num par de jeans para grávidas, que têm uma faixa elástica na cintura para acompanhar o crescimento da barriga sem apertar.

Todas as minhas calças jeans, que usava antes de engravidar, deixaram-me de servir por volta do 4º ou 5º mês de gestação. Resumindo, fiquei sem conseguir utilizar quase metade do armário, uma tragédia! Aconselho a compra dos jeans para grávida da Salsa que poderão ser utilizados mesmo depois da gravidez .

IMG_6697

Túnica

A túnica tem espaço suficiente para se expandir onde a mulher grávida mais precisa sendo bastante versátil. Um cinto adicionado logo abaixo da barriga é um ótimo truque para a definir.

Eu adorava exibir a minha barriga! As túnicas fluídas combinadas com uma calça legging ou uns jeans eram muitas vezes a minha escolha.

IMG_6700

Calça legging

As leggings são as calças perfeitas para nos sentirmos confortáveis no dia-a-dia devido à sua elasticidade.

Apesar de super práticas e adaptáveis a esta nova fase da nossa vida, não podem ser muitas vezes utilizadas no meio profissional. No entanto, eu adorava usar as minhas com túnicas e botas sempre que o look casual era uma opção.

IMG_6698Vestido

Outro tipo de roupa que fica sempre bem nas grávidas são os vestidos, que costumam exibir a barriga sendo bastante práticos e confortáveis.

Se há uma peça de roupa que adoro comprar e não dispenso no meu guarda-roupa são os vestidos. Na gravidez vestia praticamente todos os dias. Procurem por vestidos tubo ou corte império que valorizam imenso a silhueta.

IMG_6699

Sapato

O sapato escolhido é muito importante uma vez que irá suportar todo o peso do corpo. As escolhas poderão recair numas sabrinas, sandálias, alpergatas ou botas, botins e mocassins consoante a estação. O salto raso é preferível mas desde que um sapato esteja bem compensado e seja fácil de usar, o salto alto também poderá ser uma opção.
Por fim, o truque que aconselho será o de reaproveitar algumas roupas que já dispomos no armário e investir em peças que se usem durante praticamente toda a gravidez e se possível após o parto.

IMG_6705

Como cada mulher tem o seu próprio estilo, agarrem algumas destas peças e exibam a vossa fantástica barriguinha.

D.O.

D.O.

By: Super Mãe D.O.

Mamãs toca a mexer!

A grávida não deve parar o exercício físico desde que moderado e regular e na ausência de contra-indicações. Hoje em dia, a vida da mulher moderna é um movimento frenético: dona de casa, trabalhadora, algumas mães de mais filhos, esposa, etc…

A prática de exercício físico na gravidez ajuda psicologicamente, o sono é mais tranquilo, aumenta a auto-estima, há um risco diminuído de diabetes gestacional, de pré-eclâmpsia, de parto cesariana, prematuros ou com ajuda de instrumentos, maior flexibilidade, tolerância à dor e redução de lombalgias. Para os nossos bebés os benefícios são o aumento do peso ao nascer e melhoria da condição nutricional.

Contra-indicações absolutas para a prática de exercício físico na gravidez

  • Doenças cardíacas
  • Doença pulmonar restritiva
  • Gravidez múltipla com risco acrescido de Parto Pré Termo
  • Insuficiência cervical
  • Hemorragia 2º/3º trimestre persistente
  • Ameaça de aborto e rotura de membranas na gravidez atual
  • Pré-eclâmpsia e hipertensão gestacional

Os melhores exercícios para uma grávida são caminhadas, natação, hidroginástica, yoga e pilates (estes dois últimos convém certificares-te que o professor tem experiência em lidar com grávidas).

É de evitares os desportos com risco elevado de contacto, queda e altitude (basquetebol, futebol, hóquei, ginástica, hipismo, ciclismo, esqui), o mergulho (risco de descompressão fetal), a musculação (risco de lesão muscular/articular), a corrida (enfraquecimento dos músculos e articulações do pavimento pélvico, e que por sua vez provoca incontinência urinária). As grávidas devem diminuir a intensidade da actividade física à medida que a gravidez progride.

Sinais de alarme após exercício físico e contactar o médico assistente de imediato: Sensação de falta de ar, dor torácica ou palpitações, pré-síncope ou tonturas, contrações uterinas dolorosas, perda de líquido amniótico, hemorragia vaginal, fadiga extrema, dor abdominal ou pélvica, diminuição dos movimentos fetais, cefaleias, fraqueza muscular ou dor ou edema dos membros inferiores.

O exercício físico e eu não somos muito amigos regularmente confesso, até porque tenho arritmia controlada por medicação, no entanto descobri à um ano a experiência do yoga. Decidi experimentar para diminuir o stress e dormir melhor, e não é que realmente resultou! Já tinha experimentado ginásios, natação, hidro, etc mas realmente o yoga foi o único que me despertou interesse para continuar.

Na gravidez continuei o yoga, mas com exercícios específicos a grávidas. A minha professora Maria João (exigente no bom sentido e fantástica), enquanto os meus colegas de sala faziam os exercícios normais, dizia para eu fazer exercícios específicos de posturas, respiração, flexibilidade, relaxamento e a abençoada meditação eheh fez muito bem a mim e à minha mini L. fisicamente e psicologicamente. Assim que sais das aulas, sentes uma espécie de levitação e com a sensação que é tudo bom e fantástico, as cores até são mais vivas, sem dúvida um vício semanal… Eu aconselho vivamente, todas as pessoas (homens e mulheres) deviam experimentar fazer yoga e quem gostar continuar porque realmente é notório as mudanças positivas na nossa vida. Mais informações sobre yoga para gestantes e onde eu pratico yoga http://www.confederacaoportuguesadoyoga.com.pt/pt/yoga-para-gestantes

Deixo-vos também um vídeo muito útil sobre yoga na gravidez. Não esquecer acima de tudo o bem-estar materno e fetal.

By: Super Mãe S.F.

Alimentação das Barriguinhas

A alimentação saudável e equilibrada é um hábito recomendado não só na gravidez mas para toda a vida. Durante o período de gestação, a responsabilidade quanto à alimentação aumenta, uma vez que implica diretamente no perfeito desenvolvimento do feto.

Nas análises realizadas no primeiro trimestre da gravidez, testa-se a imunidade ou não à toxoplasmose (associada à ingestão de carnes cruas/mal passadas e influência de fezes de gato). Por esta altura também (eu comecei a tomar antes de engravidar) será recomendada a toma do ácido fólico em comprimido. O ácido fólico encontra-se ainda presente nas folhas verde-escuras (espinafres, couve, brócolos), nas leguminosas, nas castanhas e nas frutas cítricas. Esta vitamina ajuda a prevenir problemas na formação neurológica do bebé e do cérebro e é fundamental principalmente nos primeiros meses de gravidez.

Poderá ser ainda aconselhado a toma de alguns suplementos vitamínicos, uma vez que com um bebé a ser formado dentro de nós, é normal sentir cansaço e falta de energia (os malandros gastam-na toda!).

Considero-me uma sortuda porque não tive praticamente enjoos durante a gravidez (mas quando os tive nada que um Nausefe não resolvesse). Um truque que também é sempre útil para quem sofre com os enjoos matinais é o de ter sempre umas bolachas de água e sal na mesa de cabeceira e ingerir pelo menos uma antes de se levantar da cama.

Apesar de se poder comer praticamente de tudo, existem alguns alimentos que deverão ser evitados/moderados nomeadamente:

  • Peixes e frutos do mar crus, como  ostras e sushi (confesso que o sushi foi a única comida que me custou realmente não poder ingerir);
  • Queijos de casca branca, como brie e camembert, e queijos com fungos, como roquefort e gorgonzola (estes também não foram fáceis pois adoro todo o tipo de queijos);
  • Carne mal passada ou crua (como carpaccio)  e ovos crus (como massa de bolo, gemada e algumas sobremesas como mousses, por exemplo);
  • Cação e peixe-espada, que podem conter níveis perigosos de mercúrio. O atum deve ser limitado a uma lata de conserva por semana;
  • Bebidas alcoólicas (claro que aquela piña colada deliciosa terá que ficar para depois);
  • Bebidas e alimentos  com cafeína. Não tomar mais que duas chávenas de café por dia, e se possível, prefira bebidas descafeinadas.

A canela, apesar de pouco falada, deverá ser evitada nos primeiros meses porque o seu consumo tem um risco abortivo associado.

Na verdade a minha alimentação nunca foi das mais saudáveis mas claro que nesta fase tive todo o cuidado exigido. No início não foi fácil e tinha constantemente que pensar e pesquisar o que poderia ou não comer. Depois torna-se intuitivo.

Existem alguns alimentos que não deverão ser consumidos fora de casa. Já em casa, não existe qualquer problema desde que os alimentos sejam devidamente lavados. Por exemplo, as frutas com casca e os legumes que irão ser ingeridos crus deixava alguns minutos a demolhar em água e Amukina (para quem não conhece o cheiro é semelhante ao da lixívia). Mais tarde troquei a Amukina pelo vinagre e penso que o efeito do ácido seja semelhante. É importante lavar bem as mãos sempre antes e depois de preparar as refeições.

O que me acontecia diversas vezes quando estava grávida era que ficava sempre sem apetite após cozinhar pelo que atribuí essa tarefa ao chefe F. cá de casa. A verdade é que descobrimos um talento oculto (acredito que ele veja o 24Kitchen horas a fio e não diga nada a ninguém). Também íamos diversas vezes almoçar ou jantar fora, algo que adoramos fazer, e felizmente a ementa era sempre adaptada às minha necessidades.

Recomendo que sejam feitas várias pequenas refeições ao longo do dia ao invés das refeições principais apenas. No trabalho tinha sempre pequenos snacks (iogurte, bolachas integrais, gelatina, barras de cereais, uns chocolates…não resistia e ainda hoje não resisto). A água também é fundamental para nos manter a ambos hidratados.

E colocar o prato em cima da barriga (quando ela já está bem grandinha) enquanto se come? Uma delícia!

Last but not least…A mamã grávida deverá comer para dois, não por dois 🙂 alimentacao_gravidez

By: Super Mãe D.O.

A Descoberta das Mini-Me

A baby L. sempre foi uma bebé muito desejada, mesmo antes de ela o saber.

Quando sentimos que tínhamos reunido todas as condições para aumentar a família, deixei de tomar o método contraceptivo que usava, a pílula. Confesso que achei que ia ser instantâneo e que engravidaria logo no mês seguinte mas tal não aconteceu. Todos os meses ficava ansiosa e pensava bastante no assunto contudo não havia novidades. Cheguei a pensar se estaria tudo bem comigo (penso que seja uma dúvida recorrente nas mulheres que tentam engravidar). Sempre ouvi dizer que quanto menos se pensa em um assunto (e em engravidar) é quando acontece e comigo não foi diferente.

Nos meus anos voamos até Cabo Verde. Eu só me queria divertir, aproveitar as férias, apanhar sol, beber um cocktail (bem..foram alguns) e não pensar em absolutamente nada. E assim foi.

Passado cerca de um mês e com algum atraso mas sem qualquer sintoma, resolvi fazer um teste de gravidez comprado na farmácia (eram 6h da manhã de um Sábado. Não tive culpa, simplesmente a minha bexiga não aguentava mais). Estava um pouco cética e pessimista porque achava que o resultado não iria ser positivo.

Fiz o teste, deixei-o na casa de banho e voltei para a cama. Previamente já tinha lido a bula e sabia exatamente que precisava de dois traços verticais como resultado. Pareceu uma eternidade. Ao fim de 3 longos minutos de espera não havia margem para dúvidas: estava grávida!

Chorei imenso agarrada ao F. e foi uma momento genuíno de pura felicidade. Uns minutos depois percebi que o F. não fazia ideia se eu estava a chorar de felicidade ou tristeza e estava a tentar interpretar o resultado por cima do meu ombro enquanto me abraçava. Homens…

Foi um mix de emoções: felicidade, êxtase, ânsia, nervos, medo, amor. Era, sem dúvida, um sonho tornado realidade. Tinha um ‘feijãozinho’ (como eu lhe chamava) de 5 semanas dentro de mim.

By: Super Mãe D.O.

Teste Gravidez DO


A 1ª gravidez que tive não foi planeada, não tínhamos casa, o R. trabalhava há pouco tempo, algumas inseguranças de ser mãe muito cedo, aos 21 aninhos e ansiedades. Será que tudo vai correr bem? Será saudável? E mudança de casa, mudança de vida… Contudo, algo em nós nos dizia “Calma, vai tudo correr bem”.

Depois do parto da princesa L. decidi colocar o método contraceptivo Implanon o que fez com que “aguentasse” ideias/tentações de bebés durante 3 aninhos. Quando tirei o implante do braço, eu e o meu marido que gostamos tanto de ser pais, achámos que estava na altura de dar um(a) irmã(o) à nossa princesa L. e de alimentar mais a nossa relação. Ainda tive uns bons 8 meses sem engravidar e sem sintomas nenhuns, mas pensámos que quando fosse seria…

E assim foi… Em Junho fomos de férias para Menorca com a princesa L. Mês e meio a seguir já comecei sentir sintomas muitas náuseas matinais, sono, dores nas mamas, atraso no período e pensei “já estás!”.

Numa manhã antes do R. ir trabalhar fiz o teste sem ele saber, comecei a ver dois traços e comecei a chorar e a rir. Fui num instante buscar uns sapatinhos da princesa L. de lã quando era bebé e uns atuais, uns sapatos do R. e uns sapatos meus todos seguidos e com o teste positivo em cima. Chamei-o e assim que ele viu perguntou, com os nervos: “É teu o teste?”… ahah de quem seria?!

Nesse momento agarrámo-nos os dois a sorrir e ficamos muito felizes com o que víamos.

Lá íamos nós outra vez para mais uma mudança na nossa vida, de volta às recordações de mudar fraldas, noites mal dormidas, maminhas, o meu corpo a mudar à velocidade da luz. Há sacrifícios, nem tudo são “rosas”, mas vale mesmo a pena.

Estar grávida é um novo amor incondicional a crescer dentro de nós, um bebé que se alimenta, sorri, chora, sente, cresce, suga a nossa energia e volta a dar-nos força e energia. Estávamos a começar a nossa 2ª viagem grávidos… Estávamos a subir mais um degrau no nosso amor e mini família.

By: Super Mãe S.F.

Teste SF